03 julho, 2009

Sem Rodrigo de Souza Leão


(1965-2009)

Para saber do poeta, nada melhor que sua obra e duas datas: nascimento e morte. E, claro, a ausência que deixa entre os seus.
Não conheci Rodrigo. Trocamos pouquíssimos e-mails. Dois, três? Mas a força de sua poética falará mais alto que sua morte:

LOUCO.
Já fui gordo. Já fui magro.
Já fui ego. Já fui id.

Já fui o que quis e o que não quis.

Já fui muito. Já fui pouco.

Hoje tenho a sensação
que não passei de um louco.

A Casa das Rosas homenageia o poeta próximo dia 09 de julho, em recital com Claudio Daniel, Virna Teixeira, Horacio Costa, entre outros, às 19 horas.

Para ler uma entrevista com Rodrigo, clique aqui

2 comentários:

Equiser - A Tentativa de Ser um Ser Equlibrado disse...

Oi Mi,

Não conhecia Rodrigo,obrigada por me apresentar apesar das circunstâncias.
Emocionante a sua entrevista e de como a loucura ainda ameaça as pessoas por medo de se perderem ou se encontrarem nela.

Beijos na Alma!!!!

Si

Sônia disse...

Rodrigo era uma pessoa de coragem e de muita lucidez. E, principalmente, brilhava.
bj