19 março, 2008

Parem o mundo que eu quero descer...

1. Não dá para dividir o mesmo país com o Pedro Bial. Li hoje que para esse moço Guimarães Rosa e Big Brother 8 são cultura do mesmo jeito. Credo! Como se fala bobagem por aqui...

2.Um país que prende crianças (meninas, especialmente) em celas com adultos (homens, em geral) não é um país viável. Aliás, um país que precisa engaiolar suas crianças não parece cheirar muito bem.

3.Depois do que a empresária goiânia Sívia Calabresi fez com aquela menina (de apenas 12 anos) arrancando-lhe unhas e partes da língua a alicate, entre outras sevícias, deitar a cabeça no travesseiro parece uma tarefa impossível. Quantas crianças não passam pelo mesmo sofrimento exatamente agora?

4. Não, o Brasil não é o país do futuro.

5. E me pergunto por que raios escolhi um lugar desses para nascer.

6 comentários:

MP3 e MP4 disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the MP3 e MP4, I hope you enjoy. The address is http://mp3-mp4-brasil.blogspot.com. A hug.

Antonio Carlos disse...

Olá!
Adoro tudo que você escreve! Fantástico!!! Parabéns!!!

Abraços poéticos,
Antonio Carlos

Anônimo disse...

Querida Mi, país é igual aos pais. A gente não escolhe os que (ou os quais) quer, somos escolhidos para ali (e por ali) nascer. Alguns são contemplados pela sorte e recebem pais e país especiais, outros... nem tanto. Contente-se com os pais... bj.sônia.

Héber Sales disse...

Micheliny,

Essas notícias do front são mesmo terríveis.

Sobre BBB e Guimarães Rosa, eu até entendo que ambos sejam cultura no sentido antropológico da coisa. Ele fez essa ressalva? Não acompanhei o caso.

Agora arte mesmo só em Guimarães Rosa. BBB é pão e circo.

Abraços!

Héber Sales disse...

Ok! Boa sorte na casa nova. Um beijo.

Valéria ♡ disse...

Mi, quando eu nasci o Brasil já era o país do futuro... de lá pra cá o tempo passou mas o futuro não chegou... Aliás, este futuro é quase quarentão e só vejo nele reflexões de um passado (e um presento) injusto, cruel, desigual, desumano e sem esperança... Não sei pq mas resisto contra a idéia de que sair do país seja a solução...