27 abril, 2007

A Borboleta

Faminta mancha
na parede branca
a negra borboleta
abre as asas.
Devora toda
a parede branca
a lepra da faminta
que se alastra.
Somente mancha,
somente mancha,
mancha que se alarga.
Somente mancha,
faminta mancha.
estrela negra
abrindo grandes asas.

(Esse poema está no meu livro"Geografia Íntima do Deserto". A partir dele foi feita a animação que está dois posts abaixo).

Um comentário:

.Tatiana. disse...

Oi Mi..
Estava anciosa por este post.. tu sabe néh! =] hehehe
Poesia belíssima que faz jus a animação feita. Parabéns por ser uma pessoa tão especial! ótima semana!

fik com Deus =D

bjuuusss
.Tati.