23 agosto, 2010

Os mineiros do Norte do Chile...

... estão presos há 18 dias e talvez leve mais 40 dias até serem resgatados. Enquanto isso suas esposas e familiares enviam cartas de amor ao fundo da terra, onde eles se encontram.


Há alguns anos escrevi um poema que se chama Conto. Foi publicado em 2003 em Geografia Íntima do Deserto e depois, há cerca de três anos, foi escolhido para  compor o espetáculo Mercadorias e Futuro, de Lirinha.

Hoje, exatamente hoje, sei que esse poema foi escrito para o 33 mineiros que sobrevivem no fundo da terra em algum lugar do Norte do Chile.

Eis o poema:

Conto


Existem minas
ao norte de uma grande cidade
onde os mineiros
não vêem a luz
há pelo menos 25 anos.
Dizem que têm
olhos fosforescentes
como peixes de regiões abissais.
Dizem que nascem da terra
e se proliferam por bipartição.
Dizem que têm pulmões modificados
e que nunca choram
porque dói muito.
Mas são homens,
ainda homens,
os mineiros do Norte.



Sobre os mineiros, leia aqui e aqui.

9 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

Micheliny,

esses mineiros "têm pulmões modificados" e "nunca choram". Sempre, desde que li Geografia... pela primeira vez, esse foi um dos poemas que me saltaram. Quanto aos chilenos, e quanto à sua dedicatória a eles, comungo dessa empatia, com febre e reza.

Abraços!

viacimabue27 disse...

Micheliny,

Linda a poesia. Beleza para ingerir em silêncio. Obrigada.

beijo

Francesca

paliavana4 disse...

Se o tivesses escrito hoje (este poema sucinto), ou trasanteontem, serias, sem cisco de dúvida, taxada de "essa entra no barco da hora".

Um abraço pelo seu Blog. Eu já tinha lido poemas do seu livro primeiro.


Darlan M Cunha

Rose Mary disse...

Oi Micheliny, isto foi mesmo incrível, quando vi a notícia dos mineiros do Chile, lembrei imediatamente do "CONTO" e do recital de lançamento do seu livro em que eu interpretei o poema. Quanta responsabilidade.

fouad talal disse...

te encontrei pelo nanini. que encontrei na tertúlia.

gostei do que vi por aqui, ainda mais vindo de alguém lá da terra onde fica o adelmo.

saudações!

Mirze Souza disse...

Micheliny!

Desde que li sobre a poesia do Nanini, uma vontade enorme de conhecê-la tomou conta de mim.

A primeira foi por ler que morou ou nasceu em Arcoverde, terra de meus pais.

E lendo esse maravilhoso poema, sobre os mineiros, que sofrem muito nas minas, e que me comoveu profundamente, quero parabenizá-la
pela sensibilidade que é notória!

Um abraço e minha admiração!

Mirze

Micheliny Verunschk disse...

Bem-vindos Mirze e Fouad, sintam-se em casa no Ovelha Pop.

Abraços!

Andree Guittcis disse...

http://www.infojoia.com.br/

Andree Guittcis disse...

MINEIROS DO NORTE
A joia que surge extraida de um conto, os homens que não dhoram
os mineiros do norte...